comer em #London (GBK, Jamie’s Italian, The Oak, Hakkasan)

Este é o último post de Londres (#sadface) e talvez aquele que me entusiasme mais. A gastronomia é uma das minhas grandes paixões e um dos critérios que utilizo para caraterizar uma cidade.

Devo-vos dizer, Londres é espectacular.
No dia em que cheguei fui fazer uma visita ao mercado de Portobello e apercebi-me da quantidade de restaurantes com as mais variadas ofertas que existem numa só rua. Depois de muita indecisão (pizza, orgânico, hamburguers ou fish and chips?) decidimo-nos pela hamburgueria que fica numa das pontas da Portobello Road: a Gourmet Burger Kitchen.
Não só está num sítio super movimentado e cheio de gente gira, como foi dos melhores hamburguers que já comi. E o melhor? As batatas! Uma dose de batata doce frita e outra de batata frita com ervas, YUM! Um excelente sítio para um almoço casual depois de dar uma voltinha pelas bancas do mercado.
This is my last London post (#sadface) and probably the one that excites me the most. Culinary is one of my greatest passions and one of the criteria I used when judging a city.
I must tell you, London is amazing.
On our first day we went to visit the Portobello Road Market and I realized how much offer you get in just one street when it comes to restaurants. After much indecision and debate (pizza, organic, burgers or fish and chips?) we decided to pay a visit to a burger place located in one end of the road: The Gourmet Burger Kitchen.
Not only it’s located in a crowded place full of pretty people, but the food was also amazing. And the best part? The fries! Sweet potato fries and french fries with rosemary, YUM! A great place for a casual lunch after walking around the market.
Na primeira noite jantei numa brasserie mesmo ao lado ho hotel e, como estávamos exaustos e só queríamos ir dormir, nem levei câmera para fotografar. Sorry. No dia seguinte acordámos com as baterias recarregadas e tivemos um dia em cheio sempre a correr de um lado para o outro. A meio do dia fizemos uma paragem em Covent Garden para ir a um dos mais conhecidos restaurantes do Jamie Oliver: o Jamie’s Italian. Já tínhamos reserva feita com alguns dias de antecedência e aconselho que façam o mesmo se quiserem lá ir, o espaço é grande mas fica cheio e com fila à porta! Optámos pelo menu de 4 pratos que consiste uma entrada de carnes frias, queijos e legumes, uma massa tagliatelle com manteiga de trufas, uma escolha entre frango e atum, e para terminar uma sobremesa à escolha. Nós optámos pelo tiramisú e pelo brownie com gelado de caramelo e pipocas (do paraíso!). Eu gostei bastante, apesar de que preferia não ter optado pelo menu. O preço fica mais em conta (40 pounds por pessoa), mas eu fiquei com vontade de experimentar outros pratos que me pareciam mais apelativos. Tirando isso, o espaço é bastante caseiro e laidback, o atendimento é excelente e a comida faz jus ao criador.
On our first night in London we were exausted and ended up having dinner at a brasserie right next to the hotel. I was so tired I didn’t even take my camera along. Sorry. We woke up the next day with our batteries fully charged and with a busy day ahead. We stopped at Covent Garden around 1pm to have lunch at one of Jamie Oliver’s busiest restaurants: the Jamie’s Italian. We had made a reservation a few days in prior and I suggest you do the same, the place fits a lot of hungry folks but it gets packed! It was a monday and there was a huge queue outside. We opted for the 4 course menu that includes a board with cold meats, cheeses and veggies, a tagliatelle paste with truffled butter, a choice between chicken and tuna and for dessert we got to pick one from the menu. We opted for the tiramisu and the brownie with salted caramel ice cream with popcorns (heaven!). I really enjoyed the whole meal, although if I were to go again I wouldn’t opt for the set menu. The price is very reasonable (40 pounds per person), but I don’t like being limited and really wanted to try other dishes that seamed more appealing. Other than that, it has a great environment, very hommy and laidback, the service is great and the food lives up to the expectation.
Como em Londres se anda muito, chega-se ao fim do dia com vontade de enfardar meio mundo e mais um bocado. E nada melhor do que uma pizza para nos deixar reconfortados, certo? Fiquei a conhecer o The Oak através do blog da Rosie, um dos meus preferidos, e não podia ir a Londres sem experimentar as pizzas feitas em forno de lenha que ela tanto falou. Tenho a dizer que foi das melhores pizzas que já comi, facilmente entra no top 3, mas o melhor de tudo foi o ambiente e o espaço. Pedimos uma pizza de mozzarella fresca com basílico (a melhor) e uma de cogumelos e fiambre. Para sobremesa, um cheesecake com base de macadamia e molho de pêras (não sou grande fã de sobremesas, muito menos de cheesecake, e este não me converteu). No primeiro andar eles têm um pub que pode ser frequentado para uma bebida antes de jantar ou para várias depois de jantar. O piso de baixo, do restaurante, acompanha o estilo com uma decoração que faz lembrar um irish pub com um toque mais sofisticado, sem perder a descontração. Sem dúvida um dos espaços que mais gostei até hoje e pretendo voltar anytime.
Since you walk a billion miles in London, you get to the end of the day just wanting to munch on everything you see. And what better than a pizza to make us feel comfortable, right ? I got to know The Oak through Rosie’s blog, one of my favorites, and I just couldn’t go to London without having dinner at this place. They are known for their wood fired pizzas and I can say it’s easily one of the top 3 pizzas I’ve ever had. The place itself, though, got the gold medal: it was so cozy, romantic, laidback, sexy… We ordered a fresh mozarella and basil pizza (the best one) and a mushroom and ham pizza. For dessert, a macadamia crust cheesecake with pear sauce (I’m not a big fan of desserts, especially cheesecake, and this one didn’t convince me either). They have a first floor where the pub takes place. It’s perfect for either a before of after dinner drink with your friends. The restaurant takes place ”downstairs” and, as I said, it is a very romantic-cellar-pub environment. Definitely my kind of restaurant and one I pretend to go back over and over.
O último dia foi reservado para a Oxford Street a.k.a. compras. Acabámos por almoçar a correr num restaurante indiano e quando me lembrei de fotografar já tínhamos aspirado a comida toda #badblogger. Mas, para compensar, apresento-vos um dos melhores restaurantes de Londres, segundo dizem os entendidos: o Hakkasan.
É caro. Vale a pena.
É um restaurante asiático que tem dos melhores dumplings feitos na cidade da Rainha, assim como pratos feitos com lagosta que são de pôr o estômago a chorar de alegria! Começámos com uma dose de dumplings mistos e crepes de cogumelos shitake, seguido por um prato de pato e outro de lagosta (não vos consigo dizer os nomes, má memória). Para sobremesa, aquilo que a waitress apelidou de ”explosion of flavors”, uma sobremesa com componentes que até hoje não consigo identificar. Era doce, salgada, achocolatada, líquida, com texturas de bolo, coisas crocantes… Enfim, era bom, mas nada de outro mundo (ou se calhar é por não gostar de doces.)
O Hakkasan é um must, nem que seja pelos dumplings maravilhosos de camarão e vieiras ou pela extensa carta de cocktails que põe a pessoa zonza só de ler. Baba, muita baba neste momento.
Last day was exclusive to the Oxford Street a.k.a shopping. We ended up having lunch in a hurry in an indian restaurant and, unfortunately, I only remember to take pictures when the food was over #badblogger. However, to make it up to you, I present you one of the top restaurants in London, according to the experts: the Hakkasan.
It’s expensive. It’s worth it.
It’s an asian restaurant and they make one of the best dumplings in town, as well as amazing lobster dishes that make your stomach cry with joy! We started things off with a mixed dumplings portion and some shitake spring rolls, followed by lobster and duck as mains (can’t tell you the names now, bad memory). For dessert we took the waitress’ advice and went for the ”explosion of flavors” as she called it. Something I still can’t describe exactly what was. It was sweet, savory, chocolaty, liquid, caky, crunchy… It was good, but nothing I’d cross countries for (maybe because I’m not keen on sweets).
Hakkasan is a must, even if it’s just for the amazing shrimp and scallops dumplings alone or for their never-ending cocktail list that makes you feel dizzy just by looking at it. Seriously drooling right now.

1 Comment

  1. 13 Maio, 2014 / 11:50

    Ish, ver isto perto da hora de almoço é tortura…!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *